Fique por dentro

Notícias de mercado, dicas, matérias e muitos outros assuntos relacionados a construção, decoração e reforma.

Arquivo de "2014/11"

a.jpg

7 dicas na hora de limpar os eletrodomésticos


a.jpg

Você tem o hábito de limpar os eletrodomésticos após o uso? Costuma higienizá-los apenas com água e sabão? Saiba que nem sempre isso é suficiente! Em muitos casos, é preciso muito mais do que água e sabão para deixar os eletrodomésticos limpinhos e livres de germes e bactérias.

Vale destacar que o cuidado com os eletrodomésticos é essencial não só para a manutenção da saúde e higiene, mas também para aumentar a vida útil dos aparelhos. Quer saber como limpar os seus eletrodomésticos adequadamente? Então continue lendo nosso artigo e confira as dicas que preparamos para você!

Conheça os grupos de eletrodomésticos

Para limpar os eletrodomésticos da forma correta e evitar erros durante a higienização, é importante que você saiba como os aparelhos da sua cozinha são divididos. Os eletrodomésticos são classificados em quentes e frios, sendo que os quentes são a torradeira, a sanduicheira, o forno elétrico, o fogão e o micro-ondas. Já os frios são o liquidificador, o espremedor, o mixer, a batedeira, o processador e a geladeira. Cada um desses grupos demanda cuidados específicos na hora da limpeza.

Tire os resíduos da sanduicheira

A limpeza da sanduicheira começa pela remoção de resíduos alimentares. Você pode umedecer os restos de alimentos e retirá-los em seguida usando uma esponja macia. Depois é só secar a superfície usando um pano macio. Um detalhe importante é não usar produtos abrasivos, pois eles podem estragar o aparelho.

Use sal grosso para limpar a torradeira

Essa dica é inusitada, mas muito eficiente. Depois de remover os resíduos de alimentos, jogue sal grosso nos vãos da torradeira, pois esse produto adere às migalhas de pão. Depois de jogar o sal, vede a entrada usando papel absorvente e chacoalhe o aparelho para remover todo o sal.

Tire o excesso de gordura antes de limpar o micro-ondas e o forno elétrico

Para limpar o micro-ondas e o forno elétrico, tire o excesso de gordura que tende a se acumular nas paredes dos aparelhos. Para tanto, use um pano umedecido com sabão neutro ou uma solução de água morna (500 ml) com bicarbonato de sódio (2 colheres). As grades do forno e o prato do micro-ondas devem ser lavados no mínimo uma vez por semana.

Desmonte o liquidificador para lavá-lo

Para que o liquidificador fique bem limpo, o mais indicado é higienizar as partes individualmente, usando uma bucha macia para a limpeza geral e uma escova de dentes para remover a sujeira das dobras e dos cantos. Outra boa estratégia é deixar o aparelho de molho em uma solução de 1 litro de água para 2 colheres de água sanitária. Enxágue com água fervente para esterilizar o aparelho.

Preste atenção ao coador do espremedor

Na higienização do espremedor, o mais importante é focar no coador, pois essa é a parte que tem mais contato com os alimentos. Para realizar uma limpeza perfeita, mergulhe o coador em uma solução de água com bicarbonato, limpe a parte exterior com um pano úmido e detergente neutro. Para finalizar, seque o aparelho. Vale ressaltar que esse mesmo processo deve ser repetido na limpeza de processadores.

Bicarbonato para limpar a geladeira

No caso das geladeiras, a parte que merece maior atenção é a gaveta de frutas e legumes, afinal, é nela que a maior quantidade de resíduos é acumulada. Para limpar essa área, use água com bicarbonato na higienização, pelo menos a cada duas semanas.

Fonte:http://blog.casashow.com.br

a.jpg

3 dicas na hora de escolher lâmpadas e luminárias


a.jpg

A iluminação de uma casa não cumpre apenas o papel de deixar os ambientes claros. Ela também assume a função decorativa, além de aliar estética e funcionalidade através de lâmpadas, luminárias e pendentes. As luzes tornam os espaços mais agradáveis, aconchegantes e relaxantes, a depender do propósito do espaço. Como se não bastasse, ajudam a situar as pessoas no ambiente e facilitar a localização, melhorando assim o campo visual.

No mercado existem várias opções de iluminação e os sistemas luminotécnicos são muito diversificados. Diante de tantas opções, é bem possível que você fique confuso e para te ajudar na missão, listamos algumas dicas para escolher a lâmpadas e luminárias perfeitas para sua casa. Vem ver!

Considere o uso do espaço

Como a iluminação deve ser funcional, antes de comprar lâmpadas e luminárias, avalie o tamanho, estilo e o propósito do espaço. É uma sala de TV? É um quarto? É uma cozinha? É uma sala de Estar? A luz ideal para cozinhar, por exemplo, não é a mesma luz adequada para receber as visitas. É importante considerar também se há idosos na residência, pois quando existem moradores da terceira idade, a casa precisa ser mais iluminada.

Conte com a ajuda de profissionais

Se possível, encomende um projeto luminotécnico com engenheiros ou arquitetos, pois isso facilita na hora da compra das lâmpadas e luminárias, além de ajudar a definir se a iluminação indireta ou direta é a melhor opção. Caso não dê, faça um esboço do que você quer, tire as medidas do ambiente e peça orientação dos próprios vendedores. Pergunte sobre a durabilidade das lâmpadas, procure saber sobre os diferenciais das lumanárias e peça informações sobre o consumo.

Conheça os tipos de lâmpadas e luminárias

Existem vários tipos de lâmpadas e luminárias disponíveis no mercado e é preciso conhecê-las para acertar na escolha. As mais comuns são as seguintes:

  • PAR20, PAR30 e dicróicas – Usadas para a iluminação geral dos ambientes.
  • AR48, AR70, AR111 e minidicróicas – Usadas para fins decorativos e para dar destaque aos objetos.
  • Fluorescentes – Usadas para uma iluminação mais difusa e indicadas para lugares que precisam de muita luz, como cozinhas e escritórios.
  • Lâmpadas de LED – Mais econômicas e duráveis que as lâmpadas halógenas, apesar do custo de aquisição ser maior.
  • Luminárias – Existem luminárias rústicas, de tecido, de papel, de acrílico, de cristal. Ao escolhê-las, é preciso considerar o estilo do ambiente.
  • Fitas de LED – Esse sistema inovador de iluminação pode ser aplicado diretamente em sancas.

Dicas extras para escolher as lâmpadas e luminárias certas

  • Defina um limite para ser gasto com iluminação e, se for preciso, execute o projeto luminotécnico por etapas.
  • As luminárias sustentáveis estão super em alta. Há modelos lindos feitos de barbantes, latas, copos, papel, etc.
  • Colocar um pendente no centro da mesa de jantar deixa o visual bem elegante.
  • Outra boa opção é colocar uma fileira de pendentes modernos na direção da bancada da cozinha americana.

Fonte:

http://blog.casashow.com.br

piso.jpg

Veja dicas para evitar erros na instalação do piso vinílico


piso.jpg

Piso vinílicos, feitos em PVC são cada vez mais utilizados. Tem boa absorção de som, o que evita o toque-toque que acontece em outros tipos de revestimentos. No calor, não aquecem como os Carpetes e, no inverno, são mais aconchegantes que o porcelanato, além de que não empenam e nem dilatam.

Alguns são bem parecidos com a madeira mas tem também os lisos, coloridos ou com estampas.

Saiba mais sobre eles:

Piso vinílico pode ser utilizado em qualquer ambiente?

Sim, em qualquer ambiente interno, mas cuidado: compre o produto para o uso específico. Para o banheiro ou cozinha existem algumas linhas específicas. Ele não é recomendado para áreas externas, porque o sol desbota o pigmento que dá cor ao material.

Como é vendido?

Ele pode vir em placas, réguas ou mantas e é vendido por metro quadrado. Para casas e apartamentos, geralmente usa-se mais o piso vinílico que é vendido em placas ou réguas. O que vem no formato de manta é mais usado em salões grandes, como de escritórios e indústrias.

Geralmente são colados com adesivos específicos, fornecidos pelo fabricante – porém, existem réguas vinílicas de encaixe, conhecidas como ‘macho e fêmea’ ou como ‘clique’, que dispensam cola na instalação.

Como é a instalação?

Fácil, rápida e limpa, mas o material exige que a base (contrapiso) esteja sem nenhuma imperfeição. O contrapiso, que fica sob o piso, precisa estar limpo, liso, firme, seco e nivelado. O instalador normalmente avalia as condições do contrapiso e, se for preciso, ele vai indicar uma eventual correção.

Antes de instalar, aplica-se sobre o contrapiso uma massa niveladora feita de uma mistura de cimento e cola PVA. Essa informação é apenas para você controlar o trabalho do instalador e ver se ele está usando o material correto.

As placas e réguas podem ser instaladas pelo morador, mas é importante que um técnico avalie se a base está boa. A ABNT recomenda que as mantas sejam instaladas por mão de obra especializada, pois as emendas exigem equipamento profissional.

Posso instalar o vinílico sobre outro piso?

Só se for sobre cerâmica, porcelanato ou cimento queimado. Mas atente-se e veja como deve ser a instalação sobre cada um deles.

Se o piso que já estiver lá for cerâmica ou porcelanato, basta passar primeiro a massa niveladora, para que as imperfeições e juntas do piso (rejunte) não apareçam no revestimento flexível.

Se a cerâmica ou o porcelanato forem do tipo brilhante, antes da massa niveladora será usado um primer para melhorar a aderência à base.

No caso de uma base de cimento queimado, muito lisa, a etapa inicial do serviço é picotar o chão para a massa niveladora aderir.

Piso vinílico pode ser lavado?

Sim, mas não pode ficar submerso na água, exceto os próprios para cozinha e banheiro. A limpeza do dia a dia é feita com vassoura de pelo ou rodo com pano úmido. E para a faxina pesada, pode-se usar detergente neutro ou cera para dar brilho.

Não pode - Se o piso existente for de madeira ou laminado, eles terão que ser retirados, já que, como são naturais, podem apodrecer e estragar o piso novinho (nem pensar num pepino como esse, né?).

Se for carpete, também será preciso retirar antes.

Dica importante - Se você estiver pensado em colocar vinílico colado sobre outro piso, lembre-se de que provavelmente não será possível preservar o piso original. Quando você o retirar, a cola usada na instalação provavelmente terá prejudicado o piso que estava embaixo. Se quiser voltar a exibir o piso anterior e se o vinílico for para ficar apenas por um tempo – como no caso de um aluguel, por exemplo, em que você tem que devolver a casa com o piso que estava – é melhor optar por réguas vinílicas de encaixe.

Fonte:http://revista.zap.com.br

borboleta.jpg

Animais no Jardim


borboleta.jpgSeu jardim é lindo e traz mais paz e beleza para a sua casa! Além disso, é uma chance para as crianças terem um contato direto com a natureza, o que pode ser um pouco difícil nos dias de hoje. Porém, a proliferação da vida é necessária e os animais de jardim são sempre uma boa companhia para as suas flores.

Borboletas, beija-flores e joaninhas normalmente aparecem em espaços abertos e com uma variedade grande de vegetação. Mas, como a maioria das pessoas, se você também vive na zona urbana, alguns truques podem auxiliar a vinda desses bichinhos!

Borboletas: elas preferem flores com néctar, pois se alimentam dele. Margaridas, lavandas e hibiscos são a melhor pedida nesse assunto! Querendo inovar, coloque pedacinhos de fruta como melão ou melancia no jardim e os borrife com água.

Beija-flores: existem vários tipos de bebedouros para esse pássaro, onde você coloca água e um pouco de açúcar. Mas eles também se sentem muito atraídos por flores vermelhas, laranjas, amarelas, brancas ou roxas.

Fonte: Giulianaflires.com.br

Como construir duas casas em um lote ou terreno?


Construir duas casas em um mesmo lote ou terreno pode ser útil para uma pessoa por diversas finalidades, algumas pessoas vão querer dividir o espaço do terreno com uma segunda casa para poder alugar e assim ganhar um dinheiro extra, outros talvez queira apenas ter uma casa reserva para um familiar, filho ou outro fim. Então a primeira coisa que precisa ser definido é qual o propósito de construir uma segunda casa no terreno e a segunda coisa que precisa ser analisado é se seu terreno comporta de fato uma segunda casa.

Casa para aluguel

Se o objetivo de construir duas casas em um mesmo terreno for para aluguel das duas ou de pelo menos uma delas é preciso pensar em privacidade, ou seja, o terreno precisará dar condições para que seja feito uma entrada separada e que não exista acesso de uma casa para a outra. Muitas pessoas constroem uma casa nos fundos, mas para ter acesso a ele é necessário passar em baixo da janela da casa da frente. Isto é ruim para quem mora na frente e nos fundos.

Tamanho de Terreno

O outro ponto importante é considerar o tamanho e a forma do terreno. O ideal é que ele seja grande o bastante para comportar as duas casas e permitir uma entrada lateral independente. Tudo isso precisará constar no projeto, uma vez que é necessário também considerar os recuos mínimos exigidos pela prefeitura da sua cidade.

Como Construir duas casas em um terreno?

  • Faça o projeto considerando as margens mínimas exigidas pela prefeitura;
  • Tome cuidado com o modelo de casa em L, conforme explicado neste link;
  • Certifique que exista uma entrada independente para as duas casas;
  • Defina como ficará a garagem para as duas casas, já que o uso de automóvel é fundamental hoje e portanto é preciso pensar nesta alternativa para os dois casos;
  • Certifique que a entrada para o fundo não tenha que passar em baixo de janela da outra casa, especialmente se for para o uso de aluguel.
  • Considere também o espaço útil externo para cada uma delas, como lavanderia e área para secar roupas, pois se a área externa for muito apertada poderá ser ruim para quem usa a casa.

Fonte:http://www.casadicas.com.br

O jornal certo para
quem constrói o futuro.

11 4029.2034
11 4098.4849
ID 978*32590

Ou envie para contato@jornalconstrucao.com.br

Região: Cabreúva, Indaiatuba, Itu, Porto Feliz, Salto, Jundiaí, Itupeva.
Classificados gratuítos exceto: pessoas jurídicas, prestação de serviços e cia.