Fique por dentro

Notícias de mercado, dicas, matérias e muitos outros assuntos relacionados a construção, decoração e reforma.

Arquivo de "2017/03"

Construção Mat.jpg

Saiba como uma reforma planejada pode valorizar imóveis antigos


Construção Mat.jpg

Não são apenas os imóveis novos que têm o seu valor. Imóveis antigos também têm o seu charme e, muitas vezes, são mais atrativos do que aqueles imóveis novos, não é mesmo? Mas, problemas elétricos e hidráulicos, rachaduras, infiltrações, pinturas e pisos antigos, podem afastar possíveis interessados.

Por isso, realizar uma reforma planejada na sua casa ou apartamento pode ser uma grande chance de valorizar o imóvel e, ao mesmo tempo, deixá-lo mais confortável. Neste post, mostraremos como uma reforma planejada pode valorizar os imóveis antigos.

Como valorizar imóveis antigos com uma reforma planejada?

Modernizando as estruturas
A defasagem natural dos imóveis mais antigos está fazendo com que muitos apostem na recauchutagem e modernização estruturais – o chamado retrofit. Se o intuito é valorizar e dar um ar mais atual à construção, reformar pode ser uma boa escolha.

Mudanças estruturais, como derrubar paredes ou mexer no telhado valorizam o imóvel. Mas atenção: por serem alterações pontuais, é importante consultar um bom especialista antes de realizar quaisquer mudanças.

Pintando as paredes
Dentre as melhorias que podem ser realizadas, a pintura é uma das mais eficazes. Paredes com cores claras dão a sensação de que o espaço é maior, mais bem iluminado e arejado.

Reformando a parte elétrica
Uma reforma planejada na parte elétrica também é bem-vinda, já que a demanda de pontos de energia por toda a casa é bem maior nos dias de hoje.

Impermeabilizando pisos e paredes e trocando a parte hidráulica
A mesma atenção vale para a parte hidráulica, e a impermeabilização de pisos e paredes também é de suma importância. Apesar de parecer um investimento desinteressante, isso evitará inúmeros problemas futuros, tais como infiltrações, rachaduras, mofo, dentre muitos outros.

Substituindo pisos e cerâmicas
A troca de pisos e cerâmicas também é muito atrativa, já que esse tipo de reforma dá um ar mais renovado ao ambiente. Além de estampas mais atuais, o desgaste natural das peças antigas pode desagradar olhares mais atentos.

Quais os cuidados necessários durante a reforma?

Mesmo que não seja necessário realizar uma grande reforma, é sempre bom ficar atento aos detalhes, pois são eles que agregam valor ao imóvel. Por exemplo, escolher uma tinta lavável para evitar manchas e tapar os furos das paredes com massa corrida são ajustes simples e que podem dar uma renovada no ambiente.

O banheiro também precisa causar uma boa impressão. Verifique se há vazamentos na válvula de descarga e, se houver, regule-a ou troque-a, se necessário. Também é importante evitar mau cheiro no ralo, colocando um sifão corretamente nas saídas de água.

Quais os benefícios de uma reforma bem feita?
Além de oferecer mais conforto para os moradores, é muito mais seguro saber que uma casa ou apartamento, além de lindo, está em perfeitas condições. O bom estado de conservação, a sensação de segurança e conforto são valores que influenciam diretamente na hora de vender ou alugar um imóvel. Pesquisas indicam que uma reforma pode valorizar em até 30% o imóvel.

Para não errar na hora da reforma, é importante ter o acompanhamento de um responsável pelo projeto. Lembre-se de que mesmo com o investimento inicial, no fim das contas, é ele quem te ajudará a economizar e a tomar as decisões certas.

Se a sua intenção é vender um imóvel, talvez esteja na hora de começar a pensar em investir em uma reforma planejada e valorizar ainda mais a sua propriedade, não é mesmo?

Fonte: https://blog.casashow.com.br

Paisagismo Mat.jpg

Plantas que combatem a insônia


Paisagismo Mat.jpg

Poucas coisas são tão desagradáveis quanto uma noite mal dormida, em que você fica revirando de um lado para o outro sem conseguir descansar. As noites sem sono acabam com seu ânimo, sua produtividade e qualidade de vida de forma geral. Eis que isso pode ser combatido com a ajuda da natureza. Uma maneira de garantir uma melhor qualidade de sono é através de algumas espécies de plantas, sabia? Confira uma lista delas e tenha bons sonhos! ;)

Jasmim: estudos comprovam que a flor ajuda a reduzir níveis de ansiedade, levando a uma maior qualidade de sono;

Lavanda: quem não ama o cheirinho da lavanda? Conforme estudos, o aroma contribui para regular o ritmo cardíaco e mandar o stress embora;

Aloe vera: essa espécie está em uma lista formulada pela NASA que indica as melhores plantas para purificar o ar, já que emite oxigênio mesmo à noite;

Gardênia: com perenes folhas brilhantes e flores pra lá de perfumadas, as gardênias são boas opções para deixar no dormitório;

Gérbera:
além da beleza das suas flores coloridas, a gérbera libera oxigênio à noite, o que torna a sua respiração mais fácil. Indicada inclusive para quem sofre de apneia ou alergias. fungos e bactérias e até cheirarem mal, deixando as plantinhas doentes.

Fique atento à irrigação de água, verificando se a terra não está muito seca ou muito encharcada e observe se as espécies estão se adaptando bem ao clima. Caso contrário, mude-as de posição.

Também é importante fazer adubação frequentemente, com produtos naturais e orgânicos para não prejudicar o solo. E não se esqueça de fazer limpezas regulares nos vasinhos, retirando as ervas daninhas.

Principalmente no verão, cultivar plantas dentro e fora de casa é uma ótima ideia. Elas trazem frescor e beleza aos ambientes, além de purificarem o ar e contribuírem para a decoração. Por isso, não espere mais para investir em jardins verticais em seu lar e deixá-lo ainda mais elegante!

Fonte: https://blog.casashow.com.br

Limpeza Mat.jpg

Saiba fazer a limpeza correta após terminar a reforma de um imóvel


Limpeza Mat.jpg

Depois de pensar em todas as etapas da reforma de um imóvel, incluindo projeto, materiais e mão de obra, falta apenas um detalhe fundamental para finalmente desfrutar do resultado: a limpeza.

Essa etapa é importante para tirar manchas de tinta, restos de gesso, cimento e resíduos da reforma, deixando o ambiente pronto para receber os móveis e itens de decoração. Vale lembrar que uma limpeza pós-obra é diferente de uma faxina cotidiana, pois os tipos de sujidades e os produtos são específicos.

Confira nossas dicas de como fazer a limpeza correta após uma reforma:

Antes de começar a limpeza - Para organizar os materiais que serão usados e evitar interrupções durante a faxina, é necessário listar todas as superfícies a serem limpas e os produtos adequados para cada caso.

Alguns produtos de limpeza essenciais são: solventes para tintas, removedores para ceras, limpadores de sujeiras pesadas para piso, limpa-vidros, sabão líquido, desinfetante e álcool. Antes de aplicá-los, leia com atenção e siga as instruções indicadas nos rótulos. Isso evita que você danifique o material a ser limpo.

Lembre-se de fazer um teste em uma área reduzida da superfície. Também não deixe de remover todo o produto com bastante água para não causar manchas.

Algumas ferramentas básicas também são importantes: espátulas, esponjas, panos, baldes, vassouras, rodos, aspirador de pó e escadas.

Como fazer a limpeza após a reforma de um imóvel - Qualquer reforma, por mais simples que seja, produz muita poeira, sujeira e entulho, por isso, o primeiro passo é retirar todo o lixo e móveis possíveis. Isso abre espaço no local e facilita a faxina.

Antes de iniciar a limpeza mais detalhada, tire o pó mais “grosso” do piso e janelas varrendo ou com aspirador de pó.

É recomendável começar a limpar o imóvel de cima para baixo, ou seja, do teto em direção ao chão, e dos fundos para a entrada. Essa orientação visa evitar que as pessoas pisem onde já está limpo.

Teto e paredes - Para limpar o teto e as paredes, uma vassoura úmida com água é suficiente. Esprema as cerdas da vassoura até que não pingue mais e passe-a no canto que une a parede e o teto, além de “varrer” a extensão dessas áreas. Em paredes com azulejos, retire o excesso de rejunte e manchas de tinta e passe o produto de limpeza indicado. Depois finalize com um pano úmido e outro seco.

Móveis e objetos - Nos armários, prateleiras e lustres, por exemplo, o acúmulo de pó pode ser limpo com um pano úmido com água e detergente. Por fim, se necessário, utilize um lustra-móveis, polindo a superfície.

Para retirar facilmente adesivos de louças sanitárias, vidros e onde mais eles estiverem, o indicado é encharcar o adesivo e tirar com cuidado usando uma espátula plástica. Caso sobrem pedaços menores, utilize água quente.

Janelas e vidros - Depois que as janelas e vidros já estão sem pó, a limpeza deve ser feita com limpa-vidros que removem gordura, tinta, cola e outras sujeiras. Também podem ser usados raspadores de vidros especiais, que não riscam.

Pisos - Última parte a ser limpa depois da reforma, o piso merece atenção especial, porque os resíduos podem danificar o revestimento novo. Nesse caso, são necessários produtos especiais para limpeza pesada, que não mancham ou agridem o brilho das cerâmicas.

A limpeza mais “fina” de porcelanatos, por exemplo, pode ser feita com detergentes neutros diluídos em água e panos macios, além dos produtos específicos para este tipo de superfície. Para pisos de madeira, varrer o chão com vassoura de cerdas macias e passar um pano úmido já confere um resultado eficiente.

Para um melhor resultado e uma manutenção mais fácil, durante a limpeza pós-obra é interessante aplicar produtos protetores, seladores e antiderrapantes no piso novo.

Na limpeza após a reforma de um imóvel é muito importante prestar atenção aos mínimos detalhes, pois assim você conseguirá manter o aspecto de “novo” dos materiais usados e sentirá que todo o trabalho valeu a pena. Depois é só descansar e curtir sua casa nova.

Fonte: https://blog.casashow.com.br/saiba

Luminária.jpg

Lâmpadas de LED: aposta para decoração e economia


Luminária.jpg

Uma casa não está completa se ela não integra uma boa iluminação e a decoração nos mais diversos espaços.

E nesse sentido, boas opções para deixar tudo muito mais charmoso são as lâmpadas de LED. Elas permitem que você crie ambientes únicos e, o melhor de tudo, com muita economia.

Assim, separamos, aqui, algumas sugestões de como utilizar essas maravilhas de várias maneiras diferentes.

Você se surpreenderá com quão aconchegante e convidativo o seu lar pode ficar. Confira!

1. Luminosidade externa com lâmpadas de LED

A iluminação da área externa é essencial para destacar todos os elementos que compõem o paisagismo da sua casa.

Spots direcionáveis destacam algumas plantas-chaves do seu jardim; pequenos postes indicam todo o caminho entre as flores e escada de acesso; fitas de LED contornam todo o perímetro do espelho d’água e trazem profundidade para a flora.

2. Efeito cromático

Além das lâmpadas de LED possibilitarem uma enorme economia de energia, elas também criam efeitos luminosos de cair o queixo. Um deles é o efeito cromático.

Como muitas lâmpadas vêm com diversas opções de cores, é possível criar atmosferas diferentes dependendo da ocasião: usar a cor vermelha para um momento romântico, a azul para relaxar, os tons amarelados e alaranjados para trazer energia.

3. Esculturas de luz
Que as lâmpadas de LED têm uma alta eficiência luminosa e são capazes de iluminar grandes espaços por muito tempo você já sabia.

Mas você já ouviu falar em esculturas de luz? Elas nada mais são que a junção de várias lâmpadas com o intuito de criar não só uma fonte de luz, mas também uma peça decorativa.

Utilizando as lâmpadas de LED você consegue formatos magníficos como ondas, espirais, objetos geométricos.

4. Destaque do mobiliário
Sabe aquela mesa, espelho, cabeceira e rack que você investiu tanto como peça de destaque de determinados ambientes, mas acabou não conseguindo o efeito desejado?

Com as lâmpadas de LED, isso é facilmente obtido! Use-as em pequenos detalhes do mobiliário para deixá-los ainda mais bonitos, como sob o tampo da mesa, atrás da cabeceira e do rack, ou, ainda, em toda a lateral do espelho. O efeito criado é surpreendente.

5. Iluminação dos armários da cozinha
Sabe aqueles armários de cozinha com porta de vidro, que deixam à mostra toda a sua louça de família?

Eles são elevados a outro patamar com as lâmpadas de LED. A ideia, aqui, é iluminar o fundo ou as prateleiras que compõem essas áreas e ainda dar mais ênfase para aquelas peças que você tanto ama.

Pode parecer algo banal, mas o resultado é altamente sofisticado.

6. Varal luminoso de fotos

Apesar de vivermos em uma era extremamente digital, não há nada mais bonito que dispor fotos da nossa família e amigos pela casa, não é verdade?

Uma forma inusitada e linda de fazer isso é criar um varal de lâmpadas de LED e pendurar essas lembranças fotográficas com a ajuda de pequenos prendedores. Fica um charme!

Atualmente, o mercado oferece muitos aparatos para as lâmpadas de LED, possibilitando uma versatilidade na decoração com o uso de lustres, pendentes, fitas e abajures.

Com tanta opção, só falta você soltar a imaginação e deixar a sua casa do jeito que sempre sonhou.

Fonte: https://blog.casashow.com.br

Portão.jpg

Tipos de portão: basculante, correr eletrônico, aberto e fechado


Portão.jpg

Conheça os vários tipos de portões para residências como os modelos basculantes, de correr e abrir, feito nos mais diversos materiais, como madeira, ferro, alumínio e lata. Veja os exemplos.

Eles podem ser abertos ou fechados, basculantes de corre ou de abrir, feito pelos mais diversos materiais, como madeira, alumínio, ferro e outros. A escolha do material, estilo e forma de funcionamento é importante para determinar sua usabilidade e funcionamento. Veja abaixo os diversos modelos de portões para você conhecer.

Portão basculante
É o modelo cuja abertura é feita na vertical, onde a base de sustentação dele corre dentro de uma espécie de trilo nas laterais direita e esquerda, permitindo assim a sua abertura e fechamento. Ele é indicado para situações onde a abertura horizontal não seja possível e assim economiza-se espaço.

Portão de correr
O modelo de correr é o mais tradicional e usado, especialmente para portões grandes como os de garagens, por exemplo. A vantagem dele é que a abertura é horizontal e com isso pode-se inclusive usar portões mais reforçados e pesados.

Portão de abrir
O portão de abrir também é muito comum, mas ele só é possível para modelos menores, onde o peso seja suportado, uma vez que ele é fixado na parede e portanto não pode ser muito pesado. É comum para entrada principal de casas ou para entradas laterais

Portões eletrônicos
Um portão eletrônico pode ser tanto o de correr, basculante ou de abrir. O termo eletrônico se aplica ao mecanismo que automatiza a sua abertura e fechamento, sendo, portanto, possível aplicar este mecanismo a qualquer tipo de portão.

Portão aberto e fechado
Os termos abertos e fechados aqui indicam o tipo de construção ou o estilo dele. Alguns modelos são formados por uma espécie de grade ou mesmo tendo vão e nesses casos chamamos de portão aberto, porque permite visualizar de um lado para o outro. Já o portão fechado é aquele construído com material opaco e não permite a visualização de um lado para o outro.

Quando ao tipo de material em que ele é construído, existem vários tipos, como ferro, lata, alumínio, madeira e outros materiais. A escolha do material tem a ver com o peso, estética e melhor aplicação dele naquele local. Veja abaixo os exemplos de alguns portões com materiais diversos.

Fonte: http://www.casadicas.com.br

Jardim Vertical.jpg

4 ideias para criar jardins verticais


Jardim Vertical.jpg

Mesmo com pouco espaço, é possível cultivar um lindo jardim em casa com plantas de diferentes tamanhos e espécies. Como? Criando um jardim vertical! Essa tendência permite a plantação de maneira suspensa, ideal para apartamentos e outros ambientes pequenos.

Os benefícios de se ter um jardim são diversos, mas é importante destacar que ter plantas em casa deixa os cômodos com ar mais puro, refrescante e alegre. Além disso, você também pode cultivar ervas, temperos e pequenos frutos e ter sua própria horta!

Ficou interessado? Então, veja nossas dicas para criar jardins verticais:

1. Escolha as plantas adequadas

Os jardins verticais podem ficar tanto na área interna quanto na área externa da casa. Por isso, escolha plantas adequadas para os diferentes ambientes. Para locais externos, o ideal é plantar espécies resistentes à luz solar direta, como lavanda, hibiscos, pata-de-vaca e petúnia.

Dentro de casa, as plantas devem ser de sombra, ou seja, espécies que se adaptam bem à luz indireta do sol. Cacto, echeveria, ráfis e licuala são alguns tipos.

2. Compre o material necessário

Para começar seu jardim suspenso, você vai precisar de alguns vasos individuais e jardineiras, terra preta adubada, uma mini pá de jardinagem, um painel de madeira, treliças de bambu ou cordas para pendurar as plantinhas. Primeiro, com o auxílio da pá, plante todas as mudinhas e, no caso das hortas, coloque pequenas etiquetas para evitar confusões.

Depois, é só usar a criatividade para montar o seu jardim da maneira que preferir. Você pode colocar jardineiras e vasinhos em um painel, pendurá-los em corda de sisal e ainda incluir lâmpadas apropriadas para dar um charme a mais ao seu jardim vertical, por exemplo. Outra opção é reciclar garrafas PET e usar canos de PVC para confeccionar vasos.

3. Integre as plantas à decoração

É interessante também integrar a combinação de plantas ao restante da decoração do ambiente. Para uma varanda com estilo tropical, por exemplo, plante bromélias, samambaias, asplênios e columeias no jardim vertical. Já para uma sala de estar com decoração minimalista, orquídeas e peperomias acrescentam elegância.

4. Faça manutenções no jardim

Depois de tudo pronto, é preciso fazer manutenções para que o jardim continue bonito. Se esses reparos não forem feitos, os vasinhos podem acumular fungos e bactérias e até cheirarem mal, deixando as plantinhas doentes.

Fique atento à irrigação de água, verificando se a terra não está muito seca ou muito encharcada e observe se as espécies estão se adaptando bem ao clima. Caso contrário, mude-as de posição.

Também é importante fazer adubação frequentemente, com produtos naturais e orgânicos para não prejudicar o solo. E não se esqueça de fazer limpezas regulares nos vasinhos, retirando as ervas daninhas.

Principalmente no verão, cultivar plantas dentro e fora de casa é uma ótima ideia. Elas trazem frescor e beleza aos ambientes, além de purificarem o ar e contribuírem para a decoração. Por isso, não espere mais para investir em jardins verticais em seu lar e deixá-lo ainda mais elegante!

Fonte: https://blog.casashow.com.br

O jornal certo para
quem constrói o futuro.

11 4029.2034
11 4098.4849
ID 978*32590

Ou envie para contato@jornalconstrucao.com.br

Região: Cabreúva, Indaiatuba, Itu, Porto Feliz, Salto, Jundiaí, Itupeva.
Classificados gratuítos exceto: pessoas jurídicas, prestação de serviços e cia.